Tendências de Branding 2020: #3 – Design Personificado

Já comentamos por aqui, algumas vezes, sobre a importância da personalização como estratégia comunicativa para as marcas. Mas, quando falamos nesse tema, não estamos nos referindo, necessariamente, à produção de embalagens e produtos exclusivos para cada cliente, pois isso talvez não seria viável financeiramente. A ideia é proporcionar experiências singulares para que eles se sintam

INFO

Já comentamos por aqui, algumas vezes, sobre a importância da personalização como estratégia comunicativa para as marcas. Mas, quando falamos nesse tema, não estamos nos referindo, necessariamente, à produção de embalagens e produtos exclusivos para cada cliente, pois isso talvez não seria viável financeiramente. A ideia é proporcionar experiências singulares para que eles se sintam especiais. E essa questão chega em 2020 com novos fatores, tornando-se uma das tendências de branding mais promissoras do ano. 

Personificação: um novo conceito 

O design personalizado passou a ser visto, com mais frequência, nas últimas décadas. Um exemplo disso — e talvez tenha sido uma das principais iniciativas a fomentar essa tendência — foi a campanha da Coca-Cola, que, em 2012, adicionou nomes de potenciais consumidores em suas embalagens. A marca utilizou essa estratégia até meados de 2015 e, claro, que foi um sucesso! Além disso, nessa mesma época, o uso dos smartphones e das redes sociais se popularizou, ajudando a viralizar ainda mais a campanha. 

Dessa forma, foi aberta uma nova discussão sobre produtos e serviços personalizados, que permanece até os dias atuais, mas vem se transformando. Não que hoje a ação da Coca-Cola seria um fracasso — não podemos prever isso. Mas fato é que essa estratégia está tomando novos formatos, com as marcas buscando ir além de uma customização estética ou decorativa, para trazer o sentimento de exclusividade junto à funcionalidade.

Por isso, até mesmo o termo “personalização” parece não ser mais suficiente para descrever essa nova tendência. Então, agora, falamos de um design “personificado”, uma estratégia ainda mais profunda, que abrange novos mecanismos de funcionamento. 

Clubes de assinatura: umas das marcas dessa tendência de branding

Esses serviços são ótimos exemplos da aplicação do design personificado. Isso porque, basicamente, eles consistem em uma curadoria de produtos, pensada, exclusivamente, para o grupo que contrata a empresa. Além disso, costumam vir aliados à muita praticidade. Afinal, via de regra, os produtos são entregues na casa das pessoas. E a personificação é exatamente isso: demandas específicas atendidas de forma conveniente. 

E os dados mostram que essa estratégia vem obtendo sucesso. Uma pesquisa da Clutch feita nos Estados Unidos com 528 compradores on-line revelou que 54% participam de algum clube de assinatura. Mas, se você pensa que essa é uma das tendências de branding que estão em pauta apenas no exterior, está enganado. Aqui no Brasil, os clubes de assinatura também estão crescendo, principalmente em segmentos como vinhos e livros. A própria Coca-Cola já está começando a investir nesse sentido, com o Coca-Cola Insiders Club. A iniciativa é um clube de assinatura, que enviará para os participantes uma remessa mensal com as novas bebidas que ainda chegarão ao mercado, além de edições especiais. Assim, os consumidores se sentem mais conectados com a marca, como se tivessem um acesso exclusivo às novidades. E tudo isso sem nem sair de casa.

Produtos on-demand: um negócio em expansão

As embalagens e os modelos de entregas são alguns dos itens em que o design personificado mais se evidencia. Mas ele também pode ser aplicado nos próprios produtos. E isso já está ocorrendo! Prova disso são os conhecidos como “on-demand” (termo que, em português, significa “sob demanda”), que estão cada vez mais comuns no mercado.

Como exemplo, podemos citar o mais novo lançamento da Colgate: a escova inteligente Plaqless Pro, que traz uma tecnologia avançada — o que é muito frequente nesse tipo de personificação. Em resumo, ela detecta o acúmulo de placa bacteriana nos dentes e a remove, durante a escovação, por meio de um sensor ótico. Além disso, a escova é conectada a um aplicativo, onde a pessoa preenche informações relativas à sua saúde, para tornar a escovação ainda mais precisa, considerando suas necessidades específicas.

Da mesma forma, produtos como os dispositivos Perso da L’Oréal e Optune da Shiseido — que criam, em tempo real, produtos de beleza customizados — já são uma realidade cada vez mais próxima dos consumidores. Assim, podemos concluir que a personificação de produtos, embalagens e experiências chegou para ficar! E, para conhecer mais sobre as tendências de branding que prometem se destacar em 2020, confira o nosso e-book.