Séries e filmes sobre design e criatividade pra inspirar você!

Para um bom criativo, novas ideias podem vir de todos os lugares. O engenheiro eletrônico suíço Georges de Mestral, por exemplo, inspirou-se em sementes da planta bardana — que grudavam em seu casaco e nos pelos de seu cão — para criar o Velcro® em 1948. É com esse mesmo olhar curioso que, aqui na

INFO

Para um bom criativo, novas ideias podem vir de todos os lugares. O engenheiro eletrônico suíço Georges de Mestral, por exemplo, inspirou-se em sementes da planta bardana — que grudavam em seu casaco e nos pelos de seu cão — para criar o Velcro® em 1948.

É com esse mesmo olhar curioso que, aqui na Pande, buscamos conhecer outras realidades, culturas e processos, a fim de criar soluções inovadoras para nossos clientes. E os filmes sobre design e criatividade são uma fonte de inspiração e tanto!

Por meio dessas produções, a gente não só tem a chance de aprender com outros criativos, como também de entender como eles lidam com suas dificuldades. E vamos combinar, isso é essencial para nós, né? E como a gente adora compartilhar nossas referências, preparamos uma seleção especial de filmes e séries para quem acompanha nosso blog. Prepare o seu balde de pipoca e aproveite a sessão!

Helvetica (Gary Hustwit, 2007)

Neste longa-metragem independente, o fotógrafo e cineasta americano Gary Hustwit realiza uma série de entrevistas para entender as origens e o impacto de uma das mais conhecidas fontes tipográficas do mundo: a Helvetica. Esse ícone do design suíço dos anos 1960 e 1970 foi criado por Max Miedinger e Eduard Hoffmann, em 1957, e ganhou o mundo quando a Linotype passou a vendê-la a partir de 1961. E além de homenagear a origem da fonte, o documentário nos convida a pensar como a tipografia pode influenciar a cultura visual.

filmes-sobre-design-aprofundam-na-tipografia-helvetica
O filme Helvetica aprofunda mais sobre a fonte e sua influência

Com essa mesma abordagem sobre o impacto do design em nosso cotidiano, Gary Hustwit também dirigiu os documentários “Objectified” (2009) e “Urbanized” (2011). O primeiro mostra o processo criativo envolvido na concepção de objetos famosos na história do design, como os computadores da Apple e a cadeira Panton, e seus diálogos com o cotidiano das pessoas. Já o segundo investiga o que os projetos urbanos contemporâneos têm a nos contar sobre o futuro das cidades. Vale a pena maratonar!

Feels Good Man (Arthur Jones, 2020)

O pacifista Matt Furie, cartunista criador do personagem Pepe the Frog, não poderia prever as proporções que tomaria seu personagem, inspirado nas aventuras que ele e os amigos viviam nos tempos da faculdade. O sorridente sapinho saiu de sua publicação independente, se espalhou por memes na internet, foi apropriado por grupos extremistas e ajudou a mudar o rumo da eleição americana em 2016. Foi pra contar essa história e a luta de Furie para recuperar a doçura de sua criação, que Arthur Jones propôs o documentário.

O filme, vencedor do Prêmio do Júri Especial de melhor documentário de diretor estreante no Festival de Sundance, nos ajuda a refletir sobre os riscos trazidos pela internet — e, especialmente, pela cultura de memes — à autoria de projetos. Afinal, tudo que nos inspira e impressiona no mundo digital parte de um lugar e do processo criativo de alguém. Que tal conhecer essas pessoas e pensarmos mais sobre o que compartilhamos em nossas redes?

Abstract: The Art of Design (produção de Scott Dadich, 2017)

Aqui, a gente tá em casa! Brincadeiras à parte, nesta série de duas temporadas da Netflix, produzida pelo ex-editor-chefe da revista Wired, Scott Dadich, acompanhamos as jornadas e processos de designers de diversas áreas: de Paula Scher, da tipografia, à Tinker Hatfield, designer de calçados da Nike. Vale ver, com caderno em mãos, para anotar as referências e citações!

Cada episódio é dirigido por um cineasta diferente, o que nos permite acompanhar diversas maneiras de contar histórias. E alguns estão disponíveis gratuitamente no canal da Netflix no YouTube.

Cutie and the Boxer (Zachary Heinzerling, 2013)

Neste filme, que concorreu ao Oscar de Melhor Documentário de Longa Metragem e faturou um Sundance, acompanhamos a jornada de Ushio Shinohara, um dos mais prestigiados artistas visuais da atualidade, e sua esposa, Noriko, também artista. 

Além de conhecer os processos (caóticos!) de Ushio, também observamos como eles impactam na vida pessoal do casal, que está junto há mais de 40 anos apesar de todas as “picuinhas” entre esses dois artistas de gênio difícil. Tente não se apaixonar por eles!

A Alma do Negócio (Doug Pray, 2009)

Você conhece as mentes que criaram alguns dos slogans mais importantes da história do Ocidente? Neste documentário, o cineasta Doug Pray conversou com pessoas como Dan Wieden — publicitário que criou o slogan da Nike, “Just Do It” — e procurou entender o impacto da publicidade sobre a nossa cultura.

Passando pela revolução criativa da década de 1960 — e que acompanhamos em séries como Mad Men — até os dias de hoje, o filme mostra como pessoas de espírito criativo acabam caindo em um ramo de dimensões ainda incompreendidas.

Segundo Doug Pray, a intenção ao criar o filme era influenciar artistas e redatores a entenderem o impacto de seus trabalhos no mundo e convidá-los a criar peças com mais propósito. Vale conferir e se inspirar!

Chef’s Table (2015)

Essa série documental da Netflix já conta com seis temporadas e atravessou continentes para investigar as trajetórias e os processos criativos de alguns dos chefs de cozinha mais famosos da contemporaneidade. 

Além de acompanhar seus desafios e suas visões de mundo, também temos a chance de conhecer a cultura e a gastronomia de diferentes lugares, como o templo Baegyangsa, na Coreia do Sul, e a simpática cidade de São Francisco.

Já viu que, quando o assunto é séries e filmes sobre design e criatividade, a nossa equipe tem dicas para maratonar o ano todo, né? Então se você quer continuar se inspirando, siga a gente também no Instagram, Facebook e Linkedin!