Design retrô: o que o antigo tem de tão especial?

Nostalgia, saudosismo, saudade… Seja qual for o termo mais adequado para explicar o fenômeno, uma coisa não dá para discutir: aquilo que é antigo vem conquistando a atenção de muita gente. Não à toa, fazer referência ao que já “passou de época” tornou-se uma tendência generalizada, que vai do audiovisual à moda, passando por vários

INFO

Nostalgia, saudosismo, saudade… Seja qual for o termo mais adequado para explicar o fenômeno, uma coisa não dá para discutir: aquilo que é antigo vem conquistando a atenção de muita gente. Não à toa, fazer referência ao que já “passou de época” tornou-se uma tendência generalizada, que vai do audiovisual à moda, passando por vários trabalhos criativos. Mas, afinal, por que o passado está chamando tanta atenção assim? E o que o design retrô tem a ver com isso?

Geração #tbt

Antes de tudo, vale dizer que a nostalgia não é um sentimento apenas. Ela é, na verdade, um importante mobilizador de comportamento, estilo de vida e hábitos de consumo. Considere os discos de vinil, por exemplo. Já reparou que, de uns tempos para cá, as pessoas voltaram a se interessar muito por eles? Só no primeiro semestre de 2019 já foram vendidos mais de 8,1 milhões de LPs e a expectativa é que, neste ano, eles superem os CDs em faturamento — algo que não acontecia desde 1986. Um ótimo exemplo de como o apreço pelo passado pode influenciar o consumo e mudar significativamente um setor do mercado, concorda?

Ao que tudo indica, a onda saudosista está sendo puxada por um grupo bem específico: os millennials (pessoas nascidas entre as décadas de 80 e 90). Esse público, que está atingindo a estabilidade financeira por agora, vem demonstrando um grande interesse por experiências que façam alusão a momentos de sua infância ou, até mesmo, à época de seus pais. Pochetes, câmeras polaroids, shows de bandas que tinham acabado, filmes clássicos ganhando novas versões, produtos com design retrô… Quem diria que estaríamos revivendo tudo isso, não é mesmo? 

Mas o que explica a nostalgia?

Bem, existe uma aura de certeza e credibilidade naquilo que já aconteceu, que faz com que o passado transmita uma sensação de conforto, principalmente se comparado à imprevisibilidade dos dias de hoje. No meio de tanta informação e velocidade, a estabilidade do antigo aparece como refúgio — e esse apelo é um dos motivos que fazem do retrô um movimento tão forte.

Além disso, quando um produto faz referência a algo que já vivenciamos, é acionado um conjunto de afetos, sensações e histórias na nossa memória que se associam àquela experiência anterior. E é esse conjunto de elementos que faz da nostalgia algo tão forte.

Por isso, quando uma marca oferece consegue evocar esse sentimento, torna-se mais fácil criar um vínculo com os consumidores. Uma prova disso vem de um estudo publicado no Journal of Consumer Research, que demonstra como as pessoas ficam mais propensas a consumir quando elas estão se sentindo nostálgicas. Mais um motivo para que as organizações fiquem atentas a essa tendência.

Design retrô nas embalagens

É claro que as embalagens também exploram o fenômeno da nostalgia. Recentemente, quem fez referência ao passado foi a marca de café Santa Clara, do Grupo 3corações. Em uma edição comemorativa de 60 anos, a empresa investiu no design retrô e inspirou-se em sua primeira embalagem de café — quando o nome ainda era Café Nossa Senhora de Fátima. Compare as duas embalagens na imagem:

A Cerveja Original também trouxe elementos nostálgicos para lançar sua versão em lata. A inspiração veio no formato das tradicionais latinhas de cerveja da década de 90, que eram, em sua maioria, na cor branca e com o logotipo em destaque. Um ótimo exemplo da aplicação de uma estética clássica que faz todo o sentido com a proposta da marca. 

Outra campanha interessante foi da Coca-Cola, que relançou uma de suas embalagens da década de 80 para divulgar a 3ª temporada da série Stranger Things. A ideia era brincar com o aspecto nostálgico da lata, que ficou famosa por representar um dos principais fracassos comerciais da história da empresa no mercado.

Como deu para perceber, existem várias possibilidades de as marcas aproveitarem a onda nostálgica na hora de se comunicar com o público. Mais do que uma tendência, estamos falando de um um comportamento de consumo e um estilo de vida com enorme capacidade de mobilização. Por isso, os profissionais criativos devem se preparar pra pensar em ações que remetam ao passado de um jeito inovador — e, para fazer isso, aprofundar-se no estudo do design retrô pode ser uma ótima decisão.